segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Chuva, chuva, muita chuva.

O que foi esse final de semana? Caramba. Tenso.

Primeiro fator ruim: A chuva.

Choveu demais. Peguei muita chuva. Caiu um temporal sobre eu, Bruno Sá e Renato Machado. Pingamos, literalmente. Entretanto, o trio foi animado.
Tocou axé, eu detesto axé, mas quem se importa? A música é o de menos. O clima que é agradável. Ver aquela quantidade gigante de gente, os saradões se exibindo para os outros saradões (pq só saradões se importam) e exibindo suas namoradas, os coroas e suas velhas bizarras de sainha, as pré-adolescentes doidas para dar as vaginas e os pré-adolescentes tendo crises de bêbado porque tomaram uma latinha de cerveja. A praia suja, as ruas sujam, os policiais que não prestam pra nada (todo mundo briga assim mesmo, rola drogas e todo mundo sai roubado), e claro, a chuva! Molhando todos, acabando com a chapinha de todas, enfim.
Sexualmente falando, foi o paraíso. Muitas pessoas ali se conectaram com meu desejo físico. Hahaha. Em seguida vem a frustração, pois não teria nenhuma delas. Okei, não ligo.
Bebi o suficiente para ficar levemente mais solto e alterado, entrei na muvuca e dancei musicas como "Dar uma fugidinha com você" e outras mais que todo mundo sabe a letra de cór menos eu.

E depois do trio, Renato foi embora, e eu me encontrei com mais alguns amigos, e fomos toodos para o camping.
Nunca tinha ido num camping antes, achei mágico.
Aquele bando de barracas altamente modernas e cheio de adaptações (para foção, torneira, enfim) e aquelas famílias, aqueles caras bombados todos iguais, pessoas fazendo churrasco, pegação nos banheiros, enfim, uma doidera.
Tomei banho rapidamente (odeio banheiro comunitário) e fomos todos para o show que ia ter, Banda Eva (eca).
Fomos para a beira da praia, ficamos na grade, de cara pro tio lá que eu esqueci o nome, e curtimos o show. Depois do show, ainda ficamos na bagunça, encontrei com vários colegas meus, e depois voltamos para casa.

Segundo fator Ruim: Insônia

Não dormi. Fiquei acordado a madrugada toda. Aproveitei e dei uma volta pela praia a noite, a tranquilidade é linda, a água é quente (doidera). Sentei e fiquei olhando o mar, e quando dei por mim, o sol vinha nascendo, e foi lindo. Pena que estava só.

Terceiro Fator Ruim: Sem Roupa

Não, ninguém ficou nu. Mas a verdade era que a única peça de roupa que eu tinha estava encharcada. Peguei emprestado com um amigo que conheci no dia, e ainda assim, fiquei de sunga (emprestada) e camiseta (emprestada) até o dia seguinte. Ah, descalço. Conclusão: Cortei o pé.

Quarto Fator Ruim: O Assalto.

E no meio do trio, levam minha carteira. Juro. Foi tenso, fiquei desesperado, igual uma barata tonta olhando para o chão a procura dela, hahaha, ingênuo eu. Bem, na carteira nao tinha dinheiro, apenas uns documentos. Quando eu já tinha me conformado com a perda dela, um cara me chega e devolve. O.O
"Eu vi o cara pegando sua carteira, ele jogou na praia, eu trouxe pra vc!"
"Obrigado"
"Aham... me arruma 20 conto ai?"
ha ha ha.
Entenderam?
Repito que não tinha dinheiro na carteira.

Quinto Fator Ruim: A van

Sim. Viemos em pé, numa van lotada, dando risada loucamente até campos. Claro que quando cheguei na cidade, tomei um táxi e fui pra casa, cansadérrimo, bati na cama e dormi terrivelmente. Enfim. No fim das contas, mesmo com tantos fatores ruins, eu adorei, e faria tudo de novo.



ps: Só faltou mesmo uma pessoa legal ao meu lado. Ai ai. É a vida.
Recém adultos aprendendo que solidão faz parte. Hahaha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário