quinta-feira, 28 de julho de 2011

COMO NAMORAR ALGUÉM em 10 Artigos

Como muitos pediram, aqui estou eu, sem nada melhor para fazer, escrevendo uma cartilha com 10 artigos para auxiliar as pessoas que por algum motivo misterioso, NÃO SABEM NAMORAR.
Esse texto é potencialmente focado pros gays, mas serve pros heteros também, é só trocar o gênero das palavras quando for conveniente.


-x-x-x-x-x-x-x-x-



Como Namorar Alguém.




Art. 1 Não namore ninguém pelos motivos errados; Quando eu digo motivos errados, entende-se qualquer motivo que não seja uma paixão mútua, ou afinidade psicológica.
Exemplos de motivos errados mais clássicos:
> Uma gorda e um cara sem dente se casam. Eles não se amam. Ela é gorda, tem a necessidade do casamento imposta pela sociedade na cabeça, ele é homem, sabe que não vai conseguir coisa melhor nunca, e eles namoram. Vai dar errado.
> Dois gayzinhos teen passivinhos. Tudo que eles queriam mesmo era algum homem muito másculo para fazer eles se sentirem uma fêmea. Mas isso NÃO ACONTECE NA VIDA REAL. Então eles se juntam, por conveniência, e namoram.
> Necessidade de ter alguém. Namorar alguém simplesmente para não ficar sozinho, namorar alguém simplesmente pela "paixão" pelo relacionamento em si, e não pela pessoa; Ou seja, paixão pelo pacote: Namorar alguém, contar pras amiiigs, postar foto no face, e bla bla bla.

O único motivo que faz um relacionamento dar certo é paixão mútua pela parte física, e introsamento psicológico com a mentalidade, gostostos e tal. Qualquer coisa fora disso, vai resultar em traição.
A bixinha pode estar 2 anos com a outra, se chegar um cara masculo e bombado, ela larga o outro NA HORA e adivinha? Morre de amores pelo recém chegado, e depois sofre, pois esse estereótipo dificilmente se apaixona por alguém senão ele mesmo.

Art. 2 Existe paixão. Existe química~Existe afinidade psicológica. 50~50. Balanceamento. Tem de haver sempre um equilíbrio entre tesão e mentalidade.
Para um relacionamento dar certo, 50% dele deve ser atração física pela pessoa, o os outros 50% tem que ser introsamento, gostos parecidos, um bom diálogo.
Um exemplo de quando há deficiência desse equilíbrio é quando você namora um cara muito gostoso, mas burro. Em 1 mês você cansa.
Ou, se você tem aquela pessoa foda, inteligentíssima, coração de ouro, mas não te dá tesão nenhum por algum motivo. Vai dar errado também.
Tem que ser equilibrado, sempre.

Art. 3 Defeitos Próprios. Todo mundo tem defeitos. Querer alguém perfeito é utópico. Então, se você está com alguém, essa pessoa com certeza vai saber que você tem defeitos, entretanto, todos aqueles defeitos TEUS que influenciam A PESSOA diretamente ou O QUE ELA SENTE, você PRECISA mudar. Regra básica. Se o defeito só prejudicar a você, beleza, não mude e seja infeliz. Mas se invadir o espaço alheio, MUDE. Ou o relacionamento sucumbirá.
Um exemplo clássico é o ciume obsessivo. A paranóia gera esse ciume, e esse tipo de ciume geralmente traz muitos desgastes para o relacionamento e para o namorado. O que tem que acontecer? VOCÊ tem que aprender a controlar essa paranóia e trabalhar isso de forma que não represente problema para ninguém.

Art. 4 Defeitos Alheios. Se você queria alguém perfeito, sinto muito, pessoas perfeitas só existem na cabeça das redatoras de revistas para meninas de 15 anos. As pessoas hoje em dia terminam um namoro por qualquer coisa, e isso é estúpido. Tem de haver a magia da 'compreensão'. Qualquer defeito é lidável, quando ele não atinge sua auto-estima ou sua insegurança. Todas as pessoas possuem uma dose de auto-estima baixa e uma dose de insegurança, baste enxergar o quão grande é essa dose e lidar com ela (assunto do item 5), e lidar com isso também significa lidar com os defeitos: Lidar com um comportamento imaturo de vez em quando, ou lidar com alguma briga idiota, ou até mesmo saber pedir perdão quando for conveniente. Dignidade é algo que vai além do conceito de orgulho próprio, podemos assim dizer. Perdoar e compreender é a dádiva do ser humano.

Art. 5 Driblando a Insegurança. Todo mundo é inseguro. Todo mundo tem medo. E sendo gay, é pior ainda, pois é um mundo de extrema futilidade física e mental. Tá todo mundo querendo mesmo é a porra de um pau no cu, e isso estraga até as mentes (aparentemente) mais bem resolvidas. O medo de perder é intenso para alguns, moderado para outros, e se não existir, bem, é o fim do seu namoro, sorry. Mas voltando ao ponto, a insegurança é essencialmente ruim. Eu por exemplo sou a pessoa mais insegura da face da terra, e isso num namoro é algo que pode atrapalhar. Para não ser um problema a longo prazo, deve haver um diálogo sobre isso, e claro, um esforço de um para mudar, e do outro para entender. O maior erro, nesse caso, é brincar com a insegurança alheia.
Exemplo: Eu namoro você, eu confio em você. Mas você me diz que vai, nesse final de semana, numa festa gay com seus amigos e eu vou estar trabalhando de plantão. Eu confio em você, mas isso é pressionar minha insegurança. PQ É ÓBVIO que você vai me trair.
Entenderam o espírito? Abrir mão de certas coisas pelo bem da insegurança alheia é FORMIDÁVEL.
Existem vários outros exemplos, mas esse é o princípio. Não pressione a confiança, nunca. Deixa ela lá. Se puder não ficar add homens sarados no facebook, não faça. Se puder não desligar o celular numa terça a noite, não desligue.

Art. 6 A Importância do Romance. Nenhum relacionamento sobrevive sem romance. Um relacionamento hetero é uma maravilha pois todos os papéis ja estão estabelecidos. Ele dá as flores, ela fica emocionada, e dá a buceta pra ele, e assim tá bom pra todo mundo. Num relacionamento gay, não tem papel nenhum. Todos são homens, e todos são mulheres, (comparação meio idiota, mas é só pra passar a idéia) e todos gostam de ser surpreendidos. Não hesite nas demonstrações de carinho, nos beijos roubados, nos presentes sem motivo, enfim, o romance funciona como uma injeção de euforia, e faz com que tudo seja muito mais agradável, os defeitos mais suportáveis, e o desgaste natural amenizado (assunto do item 7). Se alguém disser "Ah, eu sou frio mesmo", manda pro caralho e faz mudar. Não existe nada mais patético do que essas personalidades que a gente se dá só para ter nas nossas mentes uma importância que não existe. Felizmente (ou não), todo mundo funciona da mesma forma.

Art. 7 O Desgaste Natural. Para entender o que é o desgaste natural, vamos falar de um casal hétero padrão. Existe o homem, e a mulher. Há um equilíbrio ali: Enquanto ele é sexual demais (comportamento primata com a única função de não comprometer a reprodução da espécie), ela é passional demais, e então, ele demora muito para achar, e quando acha, o "prêmio" é tão bom que ele permanece com ele. Entenderam né? A sociedade não condena. Ele pode ser o namorado dela em qualquer lugar, em qualquer hora, a familia sabe e entende, tudo conspira para que eles fiquem juntos e vivam o romance em tempo integral.
Agora, num casal gay padrão, é uma merda. Não há equilíbrio nenhum, é todo mundo sexual demais, e geralmente ninguém tem a mentalidade correta e acaba saindo por aí com todo mundo mesmo e foda-se. Quando há uma excessão, o desgaste segue para a sociedade. Todo mundo condena. Você só pode ser o namorado dele no seu quarto, sozinho, e lá fora são amigos. E o comportamento torna rotina, e você se acostuma com ele, e acaba fazendo com que seu cérebro se acostume também, e isso gera desgaste, pois acaba afastando o romance, que é justamente a gasolina de qualquer namoro. A solução seria ligar o foda-se para o mundo e ser aquilo que você tem vontade de ser, mas quase ninguém tem maturidade pra isso. Ficar na fantasia é muito mais confortável. Então nesse caso, o jeito é saber que esse desgaste existe, e ter o triplo de maturidade para lidar com ele e driblá-lo... Como? Supercompensando o namoro quando puder. É o único jeito.

Art. 8 Amigos do Meu Namorado. Todo mundo tem amigos, né? Você tem os seus, e seu namorado também. Um erro super básico é justamente tentar afastar seu namorado dos amigos dele, seja por ciume, ou qualquer outro motivo (válido também para a família). Você, o namorado, ele conhece há meses; O amigo, há anos. Do amigo, o sentimento é desinteressado, é mútuo naturalmente... com você, o namorado, o sentimento depende do sexo e só existe por causa da paixão... então eu pergunto pra você, quem ele vai preferir caso você o faça escolher?

Art. 9 O "Eu te Amo". Por mais que vocÊ não ame, diga que ame. É bonitinho, faz tudo ficar bem, e gera muitos momentos bons. FIcar nessa de "amor é algo muito forte" é bobagem. Na verdade ninguém ama ninguém nessa porra, então, né? Melhor dizer que ama, do que a verdade cruel.

Art. 10 Convivencia e Atrito. Se tudo está okay até essa parte, parabéns. É o último item, e o mais importante: A migração do namoro para o casamento. Então é simples, se for morar junto, pegue todos os níveis ruins dos 9 itens acima, e multiplique por 10. A dica: LIDE COM ISSO, e seja feliz.



10 comentários:

  1. ai, gatinho....

    Assim.. Sem querer te desmerecer... Vc se acha mesmo o mais indicado pra dar esse tipo de dica??? Faz um tutorial de vídeo que a gente confia mais...

    ResponderExcluir
  2. Vou levar ALGUMAS dicas para a minha vida...:P

    ResponderExcluir
  3. Fico encantado com seu olhar lúcido sobre as coisas... É uma pena que nem td mundo tem a capacidade de ver td tão claro assim! Bjo!

    ResponderExcluir
  4. Vou levar ALGUMAS dicas para a minha vida tbm ahahahahahaha...

    ResponderExcluir
  5. Levar ALGUMAS é burrice. Ou segue tudo, ou vai dar errado. Simples assim.

    ResponderExcluir
  6. Parte 1:

    Seu post está hilário! Nunca vi uma pessoa tão divertida! Jamais pensei que alguém fosse capaz de escrever um texto com tantas asneiras e conceitos furados... Fico imaginando que a pessoa dona de um blog chamado “Recém Adulto” deve ser muito jovem. Das duas uma: ou você tem um relacionamento muito longo, no qual você aprendeu tudo isso ou teve inúmeros relacionamentos fracassados (o que reduziria sua credibilidade, mas creio que vossa Excelência é mais!).
    Preciso comentar algumas frases inesquecíveis! Máximas que mudarão o mundo. Legítimas pérolas do conhecimento! Obs: OS ERROS DE ORTOGRAFIA SÃO POR SUA CONTA. (Sugestão: utilize um corretor ortográfico, ‘quirida’!):

    “A bixinha pode estar 2 anos com a outra, se chegar um cara masculo e bombado, ela larga o outro NA HORA e adivinha?” - Comentário: isso aconteceu com você ? Sua Suja!

    “Um exemplo de quando há deficiência desse equilíbrio é quando você namora um cara muito gostoso, mas burro.” Comentário: isso está acontecendo com você ? Sua Suja (bis)!

    Quanto ao artigo 3, só digo uma coisa: Desnecessário, af...!

    “As pessoas hoje em dia terminam um namoro por qualquer coisa, e isso é estúpido.” - Comentário: chorei de rir! Quando acho que não vai piorar, você se supera!

    “ Dignidade é algo que vai além do conceito de orgulho próprio, podemos assim dizer. Perdoar e compreender é a dádiva do ser humano.” - Comentário: estou passada na Becel (pq é light)... NO COMENT!

    “Exemplo (PRÓPRIO?): Eu namoro você, eu confio em você. Mas você me diz que vai, nesse final de semana, numa festa gay com seus amigos e eu vou estar trabalhando de plantão. Eu confio em você, mas isso é pressionar minha insegurança. PQ É ÓBVIO que você vai me trair.” - Comentário: Acho normal sair sem o namorado de vez em quando, e não acho que necessariamente deve rolar traição. Isso só acontece quando há falta de caráter e ausência de sentimento com a outra pessoa. Se você vai à festa e trai, é porque essa disposição para trair já estava com você. Só estava aguardando o momento certo para se concretizar. Afinal, caráter é assim: você tem ou não!

    “...manda pro caralho e faz mudar.” - Comentário: No artigo que você fala de romance, só tenho a dizer: Que romântico!...

    “Há um equilíbrio ali: Enquanto ele é sexual demais (comportamento primata com a única função de não comprometer a reprodução da espécie)...” - Comentário: Você é um estudioso da espécie humana? Falando assim, imagino que você tenha no mínimo um doutorado em Psicologia, ou sociologia. Ou as duas coisas. Próximo.
    “Um erro super básico é justamente tentar afastar seu namorado dos amigos dele, seja por ciume, ou qualquer outro motivo (válido também para a família).” - Comentário: Pior ainda é quando NÃO permitimos que nosso namorado não se envolva em nossas amizades, não acha? Já aconteceu isso com você! Ops... digo: JÁ ACONTECEU ISSO COM VOCÊ?

    “Art. 9 O "Eu te Amo". Por mais que você não ame, diga que ame. É bonitinho, faz tudo ficar bem, e gera muitos momentos bons. FIcar nessa de "amor é algo muito forte" é bobagem. Na verdade ninguém ama ninguém nessa porra, então, né? Melhor dizer que ama, do que a verdade cruel.” - Comentário: PÉROLA! PÉROLA! MAIS QUE PÉROLA! Sem sombra de dúvidas seu ‘Amor’ deve ser realmente verdadeiro! Ou sua falsidade... Qual o objetivo de você dizer que ama alguém que você não ama? Só pra ser bonitinho mesmo? E você chamar esse seu texto de “manual do namoro”?

    ResponderExcluir
  7. COMENTANDO OS COMENTÁRIOS:

    Gato Van de Kamp disse... ai, gatinho....
    Assim.. Sem querer te desmerecer... Vc se acha mesmo o mais indicado pra dar esse tipo de dica??? Faz um tutorial de vídeo que a gente confia mais...
    - Comentário: Pelo menos o leitor do Blog é sensato!

    Marconi disse... Vou levar ALGUMAS dicas para a minha vida...:P
    - Comentário: Brother, ALGUMAS DICAS ? Como? Seria dicas na Arte de Escrever asneiras?

    Jean Borges disse... Fico encantado com seu olhar lúcido sobre as coisas... É uma pena que nem td mundo tem a capacidade de ver td tão claro assim! Bjo!
    - Comentário: Se isso é ser lúdico, imagina o que é ser pejorativo!

    raaf'L disse... Vou levar ALGUMAS dicas para a minha vida tbm ahahahahahaha...
    - Comentário: Você é irmão do cara do segundo comentário, ou é o perfil fake dele? Hahaha

    Julien Ossola disse... Levar ALGUMAS é burrice. Ou segue tudo, ou vai dar errado. Simples assim.
    - Comentário: Realmente o fato de você pensar em levar algo positivo desse texto (tirando as boas risadas) é burrice! Inexistente.... rsrsrs

    Andrea disse...Bem Legal.Gostei!
    - Comentário: Esse mundo anda muito hipócrita..... rsrsrs

    CONCLUSÃO:
    Faltou a artigo 11, de extrema importância: Nunca traia seu namorado/namorada. Não existe justificativa para isso. Nada vai deixar ele tão inseguro. Quando não existe confiança, não existe amor. Talvez essa ausência de amor no mundo que você fala em seu texto seja devido a isso. Pode estar faltando um pouco de confiança no seu mundo, e conseqüentemente amor.

    Lendo o seu texto, não pude deixar de pensar que ele é bastante pretensioso e até mesmo arrogante. Para achar que pode fazer um texto “ensinando” as pessoas como elas devem se relacionar, você deve se achar muito sábio e maduro, com uma auto-estima extremamente elevada e seguro de si, diferente do que você fala no seu texto de si próprio. Nem mesmo meu avô, que ficou 40 anos casado com minha avó, discursava desse jeito. O máximo que ele fazia era tentar passar humildemente um pouco do conhecimento dele através das experiências que ele viveu. Eu, com certeza, aprendi muito com isso, porque eu o conhecia e sabia da sinceridade e credibilidade das palavras dele, a acima de tudo, eu sabia da humildade e despretensão de seu discurso.

    Por fim: Quando você publicar o texto verdadeiro me avisa pra ler! Beijo, linda!

    ResponderExcluir
  8. Uau! Gostei do texto! Vou colar na porta do quarto! hahahaha.... Mas confesso tem coisa que é tão difícil... :(

    ResponderExcluir
  9. Adorei o texto Julien. Independente de qualquer comentário pretencioso e arrogante. Levarei muita coisa em conta. ;]

    ResponderExcluir