segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Viagem para Lugar Nenhum

E era sábado a noite. O que todos nós, humildes servos do subemprego fazemos num dia de sábado a noite? Saímos para os mesmos bares, com as mesmas pessoas, beber as mesmas coisas, enquanto escutamos as mesmas músicas e fazemos as mesmas piadas.
Embora seja ligeiramente repetitivo, todos nós adoramos e estamos sempre lá, tentando desesperadamente não repetir as roupas e fumar cigarros caros que não fornecem nicotina direito ao nosso organismo, tipo Black ou L.A.
As panelinhas são sempre as mesmas, os playboys genéricos (todos iguais), as piriguetezinhas (15+), as piriguetes (23+), a galera alternativa (todos iguais), os gays encubados, os gays extremos, enfim, vários estereótipos.
MAS...
Nesse verão resolvemos fazer algo diferente. Ia rolar uma festa junina de pessoas rycas e com cabelo bom na Lagoa de Cima, um local próximo da cidade, e nosso amigo pré-histórico M. estava com 5 convites. Então, pegamos uma vara de pescar, e na ponta colocamos um DVD original da Rihanna e tiramos P. do quarto dele até o carro, e L. foi junto. Nós 4 ligamos o GPS do celular de L. e fomos seguindo para a Lagoa de Cima, umas nove horas da noite.
A viagem em si foi bem clichê. Colocamos música alta no carro e fomos gritando, fazendo bagunça, a expectativa de bebida liberada na cabeça, quando a bateria do celular foi acabando e o GPS desligou. M. disse que sabia chegar lá, então fomos confiando nele... para o nosso azar. Chegamos num local terrível, cheia de pessoas esquisitas e com cabelo ruim, dançando funk de uma forma absurdamente exagerada, e nem sinal da tal festa. M. parou num posto e adivinha? Era do outro lado da lagoa. E não havia ponte.
Voltamos TODO O PERCURSO, dessa vez em silêncio, ainda em estado de choque, P. altamente traumatizado devido à uma negona sarada lá que esfregou a bunda bem no vidro do banco dele.
Voltamos e rodamos loucamente, e simplesmente não sabiamos para onde ir... foi quando vimos um carro saindo de um beco. Perguntamos se ele sabia como chegar na Lagoa e o motorista disse que também estava tentando ir pra lá.
O que nós fazemos?
É CLARO que fomos atrás de alguém que não conhecemos. Rodamos... e rodamos... e rodamos...
e era meia noite e a gente ainda rodava, quando o cara desistiu e foi embora, mas antes, disse para a gente que era por uma estrada de terra SINISHTRA sem luz que deviamos ir.
Sério, não consigo pensar em nenhuma piada envolvendo aquele lugar, era muito bizarro. XD
Enquanto P. fechava os olhos enquanto tentava imaginar a cotação do dólar em Prontera, L. ficava rindo alto e M. diriga reclamando de tudo, da vida, da gasolina, eu parei para olhar o céu estrelado sem luz e adivinhem? Vi uma estrela cadente. Foi mágico. Pedi para que eu achasse uma maleta com 5 milhões de dólares e foi quando descobrimos a estrada correta.
Chegamos lá e ouvimos de longe a banda dizendo: "Obrigado pelo convite, adoramos tocar...."
Nos entreolhamos tipo PUTA QUE PARIL A FESTA ACABOU, e é isso, entramos e não tinha NADA.
Descemos para a lagoa, onde jazia uma fogueira, fizemos carão, e depois foi todo mundo dormir.
Eita sábado a noite.

6 comentários:

  1. hahahahahahahaha..caraleo.. MASEURIMUITO!!!

    ResponderExcluir
  2. Detalhe desnecessário: Eu comi mocotó.

    ResponderExcluir
  3. kkkkkkkkkkkkkkkk..juro que fiquei com pena de vcs!!

    ResponderExcluir
  4. "Enquanto P. fechava os olhos enquanto tentava imaginar a cotação do dólar em Prontera" PUTA QUE PARIU OIAEHOIAEHAEOIHEAOIHE

    ResponderExcluir
  5. kkkkk eu estava sentindo q algo errado iria acontecer..... ainda bem q ñ fui... hehheheheh
    mas mesmo assim eu iria me divertir muito com a cia de vcs... adoro situações inusitadas, bem tipico da minha parte..... heheheheh

    ResponderExcluir